Uncategorized

O que o punk e o empreendedor têm em comum?

Por 7 de junho de 2017 Nenhum comentário

“..punk kids and successful entrepreneurs, don’t jump straight to NO. Instead of making excuses, they ask: what do we have to do to get this done?..”

Topei com essa frase uma vez e me identifiquei de cara. Tocar pra frente sem flertar com o famoso ‘e se não der’. Mover o pensamento para ‘o que é preciso fazer’ me parece mais saudável e traz mais resultados positivos do que os ‘e se’ da vida.

Na busca por exemplos de pessoas com esse tipo de atitude me deparo com um universo infinito. Assim como a internet parece ser. Há muita gente boa e com casos de sucesso.. mas sucesso é relativo, assim como o bom e o ruim. É pessoal, intransferível.

Pensando nisso, a iniciativa aqui é filtrar e compartilhar um pouco do que o ‘buraco negro’, ou internet, e outros meios me traz de bom. Dividir o que é relevante, somar ideias..

Na pegada do empreendedor e do punk tem aquela frase famosa: “não sabendo que era impossível ele foi lá e fez” – Jean Cocteau (tks google).

Quem foi lá, fez e mostrou como se vai lá e faz foi um cara de Porto Alegre, Tiago Mattos. Ele escreveu o livro “VLEF – Vai lá e faz“, para quem está interessado em começar um novo negócio ou simplesmente curte essa filosofia. Vale demais a leitura!

Tem uma palestra do sócio dele, Felipe Anghinoni, sobre isso também que fala do futuro do trabalho. Bem interessante:

Pra quem curte trabalhar, ler, escrever (produzir) com música de fundo vai aí uma playlist bem relax.

Dá pra meditar e dormir também. Só colocar as intensões e mandar o play:

.. e pra não falarem que não falei do punk, vale ouvir de novo essas playlists:

____________

f.nunes