Uncategorized

Na fronteira

Por 7 de dezembro de 2017 Nenhum comentário

NA FRONTEIRA

há uma frustração toda vez que vemos aqueles que ‘fizeram as músicas que escutamos’ se despedirem dos palcos (quando não da vida). A ordem natural e implacável nos faz vivenciar um a um, dia após dia. dá aquela sensação estranha de que estamos ficando órfãos de música boa. Robert Plant falou esses dias sobre passado e bandas de rock. mas o ponto aqui é o exato oposto.

canções, autores e bandas novas surgem aos montes. e com a tecnologia de streamings e algoritmos vira e mexe somos expostos a milhares delas. mas, no trupicar das coisas, muito ainda nos passa batido.

Essa, sinceramente não poderia passar. Clareando...

na quarta-feira 29/11 fomos até a sala Juvenal Dias assistir ao show de lançamento do CD homônimo do Bronnco Billy e os Mangas Coloradas . teatro lotado, todos os assentos ocupados e muitos ainda de pé ou sentados nos corredores. Pouco mais de 1 hora depois e o recado tava dado. os que ali estiveram presenciaram o tom do trabalho dessa trupe que não está pra brincadeira. A noite rendeu muitos e sinceros aplausos. O disco, tocado na íntegra, com canções autorais e autênticas foi vendido na saída. Por enquanto, só fisicamente. Mas no soundcloud já dá pra ter uma boa noção do que se trata.

O disco é fruto de uma empreitada de 6 anos, tendo a banda passado por diferentes formações e vários shows, necessários para o amadurecimento das canções e entrosamento ao vivo, visto com destaque na celebração de lançamento.

privilégio meu ter visto essas canções nascerem e aos poucos serem lapidadas, adicionadas ou retiradas do set, retrabalhadas, regravadas.. Isso porque somos amigos de longa data e estamos por perto, sempre contribuímos no trabalho um do outro.

fiquei com a missão de criar a identidade visual (logo, encartes e camiseta). responsabilidade alta mas de um prazer imenso ao ver o resultado geral.

ainda sobre a cooperação.. dividimos autoria em duas músicas: “meu lugar” pro vulgo (minha banda – veja nos canais instagram, spotify, youtube) e how to beat the beatle like a rolling stone, escrita numa hilária madrugada do passado quase recente. ambas ainda não foram lançadas.

vale lembrar que é do Bronnco as vozes em off, narradas nos nossos recentes vídeos.

parceria de verdade.
um abraço da fronteira bronncomano.

suport your locals
(ouça o disco, vá aos shows)

Vale do Pati
Próximo post

Deixe um comentário